Logotipo da Dorinateca - Link para Home
Aumentar a fonte Diminuir a Fonte
Muda contraste.



Cadastrar-se | Esqueci a senha
Braille: Fundação Dorina amplia seu parque gráfico
Autor: Equipe Dorinateca
Data: 14/01/2019

A Fundação Dorina Nowill para Cegos teve início com o importante trabalho da jovem Dorina de Gouvêa Nowill. Percebendo a carência de livros em braille ela criou, em 1946, a Fundação para o Livro do Cego no Brasil visando aumentar a produção e distribuição de publicações acessíveis e contou com o apoio de dezenas de voluntárias que transcreviam manualmente as publicações naquela época. 

De lá para cá muita coisa mudou. E começamos 2019 com uma importante notícia! Levando o legado de Dorina Nowill adiante, a Fundação amplia o seu parque gráfico, incorporando 26 novas impressoras digitais de braille e, consequentemente, aumentando sua capacidade de produção para até 450 mil páginas braille por dia, um dos maiores parques gráficos de braille no mundo nesse quesito.

Este é um marco importante para que as pessoas com deficiência visual tenham a possibilidade de ter garantido direitos fundamentais como o acesso à informação e à educação por meio de mais livros e publicações acessíveis.

Foto de 6 impressoras digitais braille. Elas estão dispostas lado a lado em cima de uma grande mesa branca. Cada impressora tem um painel preto com botões e nas laterais duas bases brancas grandes que as deixam suspensas sobre uma caixa de papelão em que os papeis impressos caem.

Criado e desenvolvido por Eduardo Perez e Pedro Milliet, Results Ltda. © Fundação Dorina Nowill para Cegos. 2015 - 2019 ||| Logotipo do DAISYLATINO.